Aumentam as chegadas de refufiados à Bósnia

NOTÍCIAS | ANSA | Infomigrants.net | O número de refugiados e migrantes que chegam à Bósnia cresceu rapidamente nos últimos meses, de acordo com a ONG Help Refugees. Centenas de pessoas estão desabrigadas e dormem mal, já que os centros de busca de asilo do país já estão cheios.

O fechamento de fronteiras nos Estados dos Bálcãs levou um número maior de pessoas a viajar para a Bósnia em sua tentativa de alcançar a União Européia.

Em 2017, as autoridades bósnias registraram 755 pessoas; Neste ano, entre janeiro e fevereiro, 520 pessoas chegaram. Nas próximas semanas, outras 1.000 pessoas deverão chegar da Sérvia e Montenegro.

Bósnia “não preparada” para influxo

Help Refugees, uma organização não governamental (ONG) que procura apoiar os refugiados em toda a Europa e no Oriente Médio, disse que os recém-chegados são principalmente uma população transitória. A maioria está passando pela Bósnia, em vez de procurar criar raízes no país.

Melhorias recentes no clima levaram a um maior número de chegadas, bem como a um maior número de pessoas que se deslocam para o norte, incluindo famílias com crianças pequenas.

De acordo com a HELP Refugees, a Bósnia “dificilmente está preparada para esse influxo súbito; os centros oficiais de acomodação já estão cheios, o que significa que centenas de pessoas que pedem asilo ficam desabrigadas e dormem mal”. Cerca de 300 pessoas estão dormindo na fronteira entre a Croácia e a Bósnia, e “enfrentaram retrocessos ilegais das autoridades croatas”.

Help Refugees afirmou que a polícia “confiscou os sapatos das pessoas que foram apanhadas enquanto tentavam atravessar a fronteira, uma prática documentada em toda a Europa – inclusive em Calais – desde 2015”.

Desafios para identificar menores

Help Refugees disse que a infra-estrutura comparativamente pobre da Bósnia e a falta de recursos para os refugiados afetaram as populações vulneráveis que necessitam de apoio especializado, especialmente.

A identificação de crianças desacompanhadas e separadas, por exemplo, continua a ser um desafio fundamental para as autoridades bósnias. Menores desacompanhados são obrigados, por lei, a ter tutores legais que possam tomar decisões no seu melhor interesse, mas “a devida identificação, encaminhamento e barreiras de comunicação (devido à falta de intérpretes disponíveis) podem tornar isso um desafio na prática”, segundo a ONG.

Transcrição e tradução de INFORMIGRANTS.NET, foto InfoMIGRANTS.net

Tradução e transcrição Carlos Ribeiro | 9 de Abril de 2018